TBT – Garagem VW reúne clássicos da Volkswagen pela 1ª vez no Brasil

Para celebrar 60 anos da Fábrica Anchieta, VW expõe modelos que marcaram sua trajetória

A Fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo, acaba de completar 60 anos e para celebrar esse marco nada melhor do que homenagear os protagonistas dessa história: os carros. Pela primeira vez, a Volkswagen vai expor os principais modelos fabricados na Anchieta e que marcaram sua trajetória de sucesso no Brasil.

A Garagem VW, localizada na Ala 5 da Fábrica Anchieta, reúne 20 modelos em perfeito estado de conservação. Os carros parecem ter saído da linha de produção agora, fruto de um trabalho meticuloso de preservação e de restauração realizado ao longo dos últimos 15 anos.

Os modelos da Garagem VW foram separados por temas. Os “Clássicos da Anchieta” reúnem os modelos “irmãos” do Fusca e que traziam motor a ar, produzidos entre os anos 1950 e 1980. Estão lá, por exemplo, modelos como Fusca, 1600, 1600 TL, Brasília, Variant e SP1. A Kombi, claro, merece um capítulo à parte, especialmente para a última unidade produzida no Brasil, uma Kombi Standard branca, de dezembro de 2013.

O Passat e o Santana também têm lugar de destaque na Garagem VW. Esses modelos elevaram os produtos da Volkswagen a um nível superior de tecnologia, com motores de refrigeração líquida e novos conceitos de segurança.

A fase da Autolatina é homenageada por dois dos principais representantes: Apollo e Pointer – este, uma referência em design e ergonomia nos anos 1990. Nessa época, também fizeram grande sucesso os derivados do Gol (Voyage, Parati e Saveiro).

Outra novidade da Garagem VW é a exibição, pela primeira vez, de alguns modelos protótipos da Volkswagen, que nunca chegaram às ruas brasileiras. O BY, por exemplo, foi um projeto baseado na família BX (Gol), mas com dimensões reduzidas e soluções inteligentes de aproveitamento interno. Já o VEMP foi um veículo desenvolvido pela Engenharia da Volkswagen no Brasil para utilização específica do Exército, com muitas peculiaridades mecânicas.

A Fábrica Anchieta foi a primeira unidade fabril da Volkswagen fora da Alemanha. Desde a inauguração já foram produzidos 14 milhões de veículos. Os números alcançados em seis décadas reforçam a importância da fábrica, que começou a ser construída em 1956, entrou em funcionamento em 1957 e foi inaugurada oficialmente em novembro de 1959, tonando-se referência e revolucionando o setor automobilístico brasileiro. A Anchieta é considerada um complexo industrial completo por abrigar atividades como Estamparia, Armação, Pintura, Montagem Final, Centro de Pesquisa, Planejamento e Desenvolvimento de Novos Produtos.

Voyage

Lançado em 1981, o Voyage foi oferecido inicialmente com duas portas nas versões S e LS, com opção de motores movidos a etanol ou a gasolina, ambos de 1,5 litro e refrigerados a água. O câmbio era de quatro marchas. Em agosto do ano seguinte passaria a oferecer o 1.6l também com refrigeração a água. Nesse mesmo ano ganharia outras duas versões, GLS e Plus, sendo eleito o Carro do Ano pela revista Autoesporte.
Em agosto de 1983 o Voyage ganharia a carroceria de quatro portas e a famosa série especial Los Angeles. No ano seguinte viria o motor 1.8l, seguido, em 1985, pelo motor biela longa.
A mudança de visual em agosto de 1986 seria acompanhada pela alteração também na nomenclatura – as versões passaram a se chamar C, CL, GL e GLS.

O Voyage passaria por nova mudança estética em 1991, quando oferecia os motores AE 1600 (versão CL), AP 1.8 (versão GL) e AP 1.8S (GLS).
Nos anos seguintes, o sedã ganhou novos equipamentos e chegou a oferecer ar-condicionado e direção hidráulica como opcionais para a versão GL. Produzido até 1996 nessa primeira fase, teve mais de 465 mil unidades vendidas.


Completamente novo, o Voyage foi relançado em setembro de 2008, marcando a entrada da Volkswagen em um dos mais importantes segmentos do mercado: o dos três-volumes com motor de 1 litro. Concebido, planejado e desenvolvido simultaneamente ao Novo Gol, o Novo Voyage oferece as mesmas inovações tecnológicas, soluções de engenharia e excelente dirigibilidade do hatch.

Como o Gol, o Voyage foi totalmente projetado e desenvolvido no País e, ao longo de seus mais de 30 anos de história, já teve mais de 305 mil unidades exportadas para 58 países.

A produção do Voyage começou na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo, que fabricou 340.891 unidades do carro em dois períodos: entre 1981 e 1987 e entre 1990 e 1996. Nos anos de 1988 e 1989 o carro foi produzido na fábrica de Taubaté.
O Voyage soma mais de um milhão de unidades vendidas ao longo de sua história.

A unidade exposta, versão GL ano 1995, foi retirada da linha de produção diretamente para o Acervo da Volkswagen.

Parati

Nova integrante da Família BX, a station wagon compacta, que logo faria grande sucesso junto às famílias de classe média, foi apresentada em junho de 1982, já como modelo 1983, com motor de 1,6 litro refrigerado a água e três versões: S, LS e GLS. Sua primeira série especial, Parati Plus, foi adicionada à linha um ano depois. Em 1988 a versão GLS passou a oferecer motor 1.8.

A primeira grande mudança na Parati ocorreu em outubro de 1995, com o lançamento da linha 1996. Modelo ficou sete centímetros mais longo e já com motores com injeção eletrônica (monoponto no 1.6 e 1.8 e multiponto no AP-2000). As versões passaram a ser chamadas CLi, GLi e GLSi, esta a mais luxuosa, que podia vir equipada, opcionalmente, com freios ABS.

A Parati Geração III chega em maio de 1999, com design renovado e uma ampla lista de acessórios de série e opcionais. As três versões, 1.8, 2.0 e GTI 16V passam a ser oferecidas com pacotes modulares opcionais de luxo e estilo. Em maio de 2000, surge a 1.0 turbo 16V, com 112 cv.

A quarta geração da Parati chega com novos para-choques e com novo desenho na traseira, com lanternas e vidros maiores. Em 2006, todas as versões passam a ser equipadas com motor Total Flex e direção hidráulica de série.

Na linha 2013, ganhou rodas pintadas de cinza e faróis com detalhes cromados.

A Parati em exposição, versão GLS ano 1994, foi retirada da linha de produção na Anchieta para o Acervo da Volkswagen.

Pointer GTi

O Pointer foi apresentado em dezembro de 1993, como parte da linha 1994. Chegou ao mercado com a primazia de ser o primeiro hatchback com cinco portas e apelo esportivo. Trazia recursos como o grande vidro traseiro, faróis que incorporavam as luzes de longo alcance e o estilo arredondado – o desenho inovador foi assinado pelo designer Luiz Alberto Veiga.

Era disponível em quatro versões, com duas opções de motor: CL e GL com o AP-1800 (sendo que a GL oferecia como opcional o AP-2000), a gasolina ou etanol. As potências eram de 86 cv (1.8 gasolina), 95 cv (1.8 etanol), 106 cv (2.0 gasolina) e 113 cv (2.0 etanol).

A versão GTi trazia o AP-2000 com injeção eletrônica de gasolina e 115,5 cv. Também era equipada com freios a disco nas quatro rodas e suspensão com calibração esportiva, com amortecedores pressurizados e molas mais firmes.

O Pointer era equipado com o recém-lançado câmbio de cinco marchas “MQ”, que contava com engate por cabos. Seu porta-malas tinha 388 litros de capacidade.

O hatchback foi produzido até dezembro de 1996 e teve aproximadamente 37 mil unidades vendidas.

A unidade em exposição, na cor Verde Taiti e ano 1995, saiu da linha de produção para o Acervo da VW.

BY

Uma das maiores lendas da indústria automobilística brasileira, o projeto de código interno BY tem gerado discussão há mais de trinta anos. A unidade exposta é a única a restar do desenvolvimento do modelo, e permaneceu guardada na Anchieta desde o cancelamento do projeto, em 1987.

A proposta era ter um novo veículo de entrada para a marca no País, menor do que o Gol, do qual herdava a parte dianteira da carroceria (da coluna central “B” para a frente). Mas com alguns recursos mecânicos e de construção mais modernos, à frente de seu tempo.

O projeto não tinha calha de teto, por exemplo – solução que no futuro se tornaria padrão para todos os veículos do mercado. Seu para-brisa seria colado à carroceria, como é o padrão atual de construção.

Para preservar a capacidade do porta-malas, o banco traseiro seria corrediço. Esse recurso foi aplicado ao Fox, que seria lançado em 2003. Além disso, a suspensão traseira tinha elementos do Fox exportado aos EUA, com pontos de ancoragem diferentes dos do Gol, para não invadir o compartimento traseiro.

O desenho desproporcional, uma das causas do cancelamento do projeto, era uma decorrência do motor utilizado: o mesmo AP 1.600 da “Família BX” (Gol, Voyage, Parati e Saveiro).

Alguns outros fatores levaram ao seu cancelamento: o custo de produção, que se tornou elevado por causa das soluções técnicas (em especial a suspensão traseira) e a proximidade do nascimento da Autolatina.

E assim o BY entrou para a história das lendas.

SP1

Considerados por antigomobilistas como dois dos modelos mais belos da história da Volkswagen, o SP1 (motor 1.6) e o SP2 (motor 1.7) foram inteiramente projetados, desenvolvidos e produzidos no Brasil – o desenho foi assinado pelo célebre designer automobilístico Marcio Piancastelli.
A apresentação dos modelos ocorreu em junho de 1972 e o SP2 foi produzido até 1976. Com baixos centro de gravidade e coeficiente aerodinâmico, os modelos traziam design esportivo e ousado, sem abrir mão da funcionalidade. Boa visibilidade graças à ampla área envidraçada e dois porta-malas estavam entre suas características.

Eram esportivos com detalhes exclusivos para a época, como instrumentos integrados ao painel, bancos esportivos forrados de couro e volante com desenho exclusivo.

Por fora, o SP1 trazia o inovador limpador de para-brisas com braço pantográfico, além de apliques na lateral que realçavam as linhas da carroceria.

Com menos de 100 unidades produzidas, o SP1 é um modelo raro. A unidade em exposição é ano 1971 passou por diversos departamentos na Fábrica Anchieta, ficou guardado por anos, foi encontrado, totalmente recuperado e integrado ao Acervo da Volkswagen.

A Volkswagen também mostrou Kombi, Fusca, 1600, 1600 TL, Brasília, Variant II, Passat e entre outros.

Fonte: Volkswagen

Deixe seu comentário

Dieggo Lima

Sou o CEO/Fundador do site motorbsb.com - A motorbsb.com é um site brasiliense e oferece conteúdos de notícias sobre motos, carros e design automotivo. Sou um garoto que ama desenhar carros, e sou apaixonado por design, carros, cachorros & sertanejo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Next Post

TBT - Nissan Sport Sedan Concept: A nova linguagem visual da Nissan (2014)

sáb nov 30 , 2019
Antes dos novos Versa, Maxima e Sentra a Nissan apresentou no começo do ano de 2014, no Salão de Detroit (EUA) o Sport Sedan Concept, carro-conceito que traz design que inspirará futuros modelos da marca japonesa. “Essa novidade visa alcançar à geração digital, nascida depois de 1990. Os designers da Nissan acreditam […]

Traduzir

Facebook

Twitter

Siga-nos

%d blogueiros gostam disto: